Jean-Jacques Rousseau e a felicidade possível

Luciana Coletti

Resumo


O artigo tem como propósito abordar o tema da felicidade no contexto da filosofia rousseauniana, com ênfase particular, na obra Emílio, demonstrando que sua possibilidade está atrelada à concepção de natureza humana apresentada pelo filósofo genebrino. Apesar do pessimismo da crítica de Rousseau em relação às sociedades constituídas e à condição de miséria e infelicidade que ele atribui aos homens civilizados é possível extrair de sua obra lições que indicam um caminho para a felicidade. Rousseau distingue, neste caminho, a verdadeira felicidade da realidade de aparências e dependência vivenciada pelos homens civilizados nas sociedades reais e desordenadas. No interior de uma sociedade bem ordenada Rousseau recoloca a possibilidade da fruição da felicidade para os indivíduos capazes de restabelecer, na interioridade, o equilíbrio entre forças e desejos. O conhecimento da natureza humana, o bom uso da liberdade e a prática da virtude, são algumas das condições colocadas por Rousseau para uma vida feliz.

Palavras-chave


Rousseau; Felicidade; Natureza humana; Virtude

Texto completo:

PDF

Referências


BAZCKO, Bronislaw. Rousseau Solitude et communauté. Trad. Claire Brendhel-Lamhout. Paris: La Haye, 1974.

DERATHÉ, Robert. La dialectique du Bonheur chez Jean-Jacques Rousseau. Revue de théologie et de philosophie, v. 2, n. 2, p. 81-96, 1952. Disponível em: www.jstor.org/stable/44350142. Acesso em: 10 ago. 2018.

DERATHÉ, Robert. Rousseau e a ciência política de seu tempo. Trad. Natalia Maruyama. São Paulo: Barcarolla; Discurso Editorial, 2009.

GATTI, Roberto. Rousseau: Il Male e La Politica. Roma: Edizione Studium, 2012.

GOLDSCHMIDT, R. Anthropologie et Politique: les principes du système de Rousseau. 2. ed. Paris: Vrin, 1983.

GROETHUYSEN, B. J.-J. Rousseau. França: Gallimard, 1983.

MARUYAMA, Natália. A contradição entre o homem e o cidadão: consciência e política segundo J.-J. Rousseau. São Paulo: Humanitas; Fapesp, 2001.

RADICA, Gabrielle. L’Histoire de la raison: anthropologie, morale et politique chez Rousseau. Paris: Honoré Champion Éditeur, 2008.

ROUSSEAU. Emílio ou da Educação. Trad. Roberto L. Ferreira. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

ROUSSEAU. Do Contrato Social/ Ensaio Sobre a Origem das Línguas/ Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre os Homens. Trad. Lourdes Santos Machado. 5. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. Os Pensadores.

VIROLI, Maurizio. La théorie de la societé bien ordonné chez Jean-Jacques Rousseau. Berlin; New York: de Gruyter, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Instituto Superior de Filosofia Berthier (IFIBE) | Rua Senador Pinheiro, 350 - Bairro Vila Rodrigues - CEP 99070-220 - Passo Fundo, Rio Grande do Sul - Brasil | Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2526-5709