Imprimir

Comunicação - Notícias

Morre o filósofo Leandro Konder


Morre o filósofo Leandro Konder

Morreu nesta quarta-feira, aos 78 anos, o filósofo Leandro Konder. Ele é reconhecido como um dos autores brasileiros mais presentes nos estudos sobre Karl Marx, lecionando e escrevendo livros sobre a difusão de seu pensamento. O velório acontece na quinta-feira, às 15h, no Memorial do Carmo, em São Cristóvão. A cremação ocorre na manhã seguinte. Konder sofria de Mal de Parkinson e morreu em decorrência das complicações da doença, em sua casa.

— Nós perdemos o maior humanista e filósofo que o Brasil tinha. Um homem convicto de sua ideologia e que ao mesmo tempo conseguia conviver com os outros, sendo muito ouvido pelo outro lado. Leandro foi símbolo de uma sociedade civilizada, cordata e justa — disse o jornalista e ex-deputado federal Milton Temer, amigo pessoal de Konder.

O político, que esteve ao lado de Konder em seus últimos momentos, acredita que o filósofo finalmente "descansou" depois de uma vida de intensa luta.

— Ele teve um colapso de um processo que já vinha de longa data. Sua expressão era de repouso.

Leandro Konder era professor da PUC-Rio e da UFF. Filho do líder comunista Valério Konder, foi preso e torturado durante a ditadura militar e se exilou, em 1972, na Alemanha e, posteriormente, na França. Regressou ao país em 1978 e passou a se dedicar com afinco ao estudo das obras de Gyorgy Lukács e ao seu projeto de difundir os estudos do marxismo em terras brasileiras.
Em nota, a Boitempo Editorial, editora pela qual Konder publicou livros como "Sobre o amor", "Em torno de Marz" e "As artes da palavra", afirmou se despedir com "profunda tristeza": "Ser humano extraordinário, autor, coordenador de coleção, conselheiro e, acima de tudo, um amigo e companheiro de lutas".

Konder deixa o filho Carlos Nelson e sua mulher, Cristina. Na PUC, será realizada missa de sétimo dia em memória do filósofo.

Comuníadas

Konder integrava um grupo formado há aproximadamente 15 anos por intelectuais, os Comuníadas (nome formado pela mistura de comunistas com “Os Lusíadas”, de Camões), que se reunia uma vez por mês para celebrar a literatura e a arte. O cineasta Zelito Viana, um dos integrantes do grupo — que reúne ainda nomes como Ferreira Gullar, Sérgio Cabral, Milton Temer, Walter Carvalho e Roberto Freire — lembra que a última reunião aconteceu há um mês, com a participação de Konder.

— O Leandro era a estrela dessa comunidade. Na verdade, ao longo do tempo, esses encontros foram acontecendo como uma forma de homenageá-lo. Ele fazia poemas, que nós líamos, virou uma marca da nossa reunião. Acompanhamos a evolução da doença dele nesse período todo, mas no último almoço ele estava bem.

Fonte: http://oglobo.globo.com/cultura/morre-aos-78-anos-filosofo-leandro-konder-14544763#ixzz3IyuzyYIZ


Newsletter